22 de Março de 2012 às 1:50
Aviões de papel


Debruçado sobre minha sacada, faço aviões de papel
com as páginas da minha memória...

Tinta sobre o papel,
Boca sobre a boca,
Pedaços de sonho
compondo um mosáico
tão real que quase pode-se tocar.
Ser seduzido por seu perfume, sabor e música própria,
como um amante que delicia-se ao ver sua amada a dormir,
apenas imaginando e lembrando cada segundo de amor, cada gota de desejo, cada gemido entre dentes.

Meu Porto seguroé feito dealgodão doce,
uma nuvem passageira,
um sonho que sonho acordado,
mas nem por isso deixa de ser real.