BIO

untamedlogo.png

Nascido no sul do Brasil, Ricardo Ambrozio  viveu no Rio de Janeiro onde cresceu tendo a oportunidade de ter contato com o melhor e o pior da cultura e dia-a-dia brasileiros.​
Seu primeiro contato com o ritmo e  o movimento foi com a capoeira aos seis anos de idade. Aos 13 anos começou em um grupo de dança de rua, fazendo 3 anos de competições constantes até aos 16 anos de idade, quando entrou em contato com Flávia Tápias, bailarina, professora e coreógrafa brasileira, seguindo o seu trabalho como estudante e assistente, dando aulas juntos, e trocando “materiais” de pesquisa.​
Neste momento a decisão da dança como opção de vida era claro e o mergulho nesta direção tornou-se mais e mais profundo. Ele se tornou o pesquisador residente do CDPD-RJ (Centro de Documentação e Pesquisa de Dança do Rio de Janeiro), trabalhou como produtor em alguns festivais de dança, e cursou dois anos na Faculdade Angel Vianna. Ao atingir os vinte anos deixou o Brasil mudando para Lisboa, Portugal, onde cursou a Escola Superior de Dança, e trabalhou em algumas companhias (Companhia de Dança de Almada, Companhia Instável), e também começou a desenvolver seu próprio trabalho como coreógrafo e professor trilhando o seu próprio caminho para dar aulas, misturando todas as suas influências na dança com muita energia e dinâmica.​
Depois de trabalhar com Helder Seabra na Companhia Instável (Porto, Portugal), ele se mudou para Amsterdã e depois para Bruxelas, para trabalhar com Bruno Caverna, Gerard Mosterd, Dogwolf (Chris de Feyter), Willy Dorner e Ultima Vez (Wim Vandekeybus), companhia em que trabalha atualmente. Em conjunto com o trabalho na companhia belga Ultima Vez, Ricardo Ambrózio começa a reunir sua produção cultural (coreografia, video, textos e fotografia) em torno de um nome, uma marca: Untamed.